Terça, 17 Outubro 2017 20:42

Santo Inácio de Antioquia

Vestida de vermelho, hoje, dia 17 de outubro, a Santa Madre Igreja traz a memória de um mártir da Igreja Primitiva que foi morto no século II. Santo Inácio de Antioquia.

Inácio, ou Ignati, vem da palavra Ignis, que no latim quer dizer fogo. O coração de Santo Inácio ardeu pela vontade de ver a Deus e nem as feras o amedrontaram. Ele também era chamado de o Teófolo, o que traz Deus. Foi bispo de Antioquia da Síria, que era a terceira maior cidade do Império Romano e só era menor que Roma e Alexandria, e essa comunidade foi fundada por São Pedro, depois foi assumida por Evódio e depois por Inácio, logo, Santo Inácio sucedeu a São Pedro no episcopado de Antioquia. A Tradição diz que Inácio chegou a conhecer São Pedro e São Paulo.1.

Um escritor cristão chamado Tertuliano de Cartago (a.D. 220), disse que “O sangue dos mártires era semente de novos cristãos”, e o era de fato, e assim também pensava Santo Inácio, que foi capturado em Antioquia.2

O YOUCAT.3 nos diz que mártir vem do grego, martyria, que quer dizer testemunho e continua dizendo que “um mártir cristão é uma pessoa disposta a sofrer a violência, ou mesmo a deixar-se matar, por causa de Cristo, que é a Verdade, ou por causa de uma decisão de consciência tomada a partir da fé”.

Santo Inácio no caminho entre Antioquia e Roma, escreveu diversas cartas para várias igrejas, como a Epístola a Policarpo de Esmirna, a Epístola aos Efésios, a Epístola aos Esmirniotas, a Epístola aos Filadélfos, a Epístola aos Magnésios, a Epístola aos Romanos e a Epístola aos Tralianos. Dentre essas cartas, mas especificamente ao jovem bispo de Esmirna, que era São Policarpo, ele vai dizer pela primeira vez os termos cristianismo e Igreja Católica.4

Todas essas cartas foram escritas antes de sua morte em 107, logo, é aí que nós historiadores e cristãos, conseguimos refutar as ideias que dizem que a Igreja Católica foi fundada pelo Imperador Constantino em 313. O que de fato aconteceu em 313 foi apenas o Edito de Milão, que proibia a perseguição aos cristãos. A Igreja Católica existe desde a Santa Cruz. Dizer que a Igreja nasce de Constantino em 313, é uma tentativa de apagar o rastro do sangue dos primeiros mártires, derramado em nome de Cristo e de sua Igreja nos primeiros séculos.

O amor pela morte na certeza que encontraria Cristo era tão forte em Santo Inácio de Antioquia que ele pedia incansavelmente em suas cartas que ninguém o tentasse salvar e nem o impedir de chegar até os dentes dos leões. Escreveu ele mesmo na carta que dirigiu aos romanos:

“Tenho escrito a todas as Igrejas, e a todas elas faço saber que com alegria morro por Deus, contanto que vós não mo (me) impeçais[...]. Deixai-me ser alimento das feras, porque através delas pode-se alcançar a Deus. Sou trigo de Deus: que eu seja triturado pelos dentes das feras para tornar-me puro pão de Cristo!”. E ainda continuou dizendo: “Desejo-as bem velozes. Afagá-las-ei para me devorarem depressa. Não aconteça comigo como a alguns nos quais nem sequer, medrosas, tocaram. Se elas resistirem e não me quiserem, eu as obrigarei a força.”.5. Santo Inácio sabia que seu martírio seria também sinal para os novos cristãos, e com isso também converteria mais pessoas para Cristo, e por isso foi ardente ao Coliseu no desejo de que não lhe sobrasse nem mesmo alguma parte do seu corpo, pois ele ansiava pelas dentadas dos leões.

Ao chegar em Roma, Santo Inácio foi levado até o imperador Trajano que lhe perguntou por qual motivo ele provocava revolta em Antioquia e convertia seu povo ao cristianismo e Santo Inácio respondeu: “Queira Deus que eu possa converter também a você”.6

A atitude de Santo Inácio é lembrada e comemorada pela Igreja, pois, com seu martírio, diversos cristãos viram força e sentido em seus suplícios. Nos tempos atuais, o Santo Padre o Papa Emérito Bento XVI nos alertou que o tempo dos mártires ainda não acabou e São Gregório Magno nos disse que “todos os santos foram mártires, ou pela espada, ou pela paciência”.

Hoje somos convidados para os mais diferentes tipos de martírio e muitas vezes não estamos preparados para vencê-los e aceita-los, pois, além das nossas fadigas diárias, deixamos de estudar e conhecer a vida dos santos, que em seus tormentos, tiravam forças do Altíssimo. A vida moderna quer, em sua tentação diária, nos tirar dos sofrimentos, nos oferece coisas mais fáceis, nos diz que a pobreza não é nossa, que não é bom gastar muito tempo com a nossa religião, que não precisamos falar e lembrar de Deus o tempo todo e assim começam as taxações dos mais diversos títulos para nos reduzir e acabamos por culpar o Bom Deus pelas nossas insatisfações, mas, Santo Afonso Maria de Ligório nos exortou que “os santos consideravam como presentes as doenças e as dores que Deus lhes manda”.

Afim de nos reanimar na fé, transmito que São João da Cruz nos disse que “se alguém, em qualquer época, fizer do cristianismo um caminho fácil e cômodo, não lhe dê ouvido”, lembremos de Santo Inácio de Antioquia, que mesmo diante da sofrida e dolorosa morte que lhe esperava, não deixou de transmitir o amor de Deus para o próximo, não deixou de evangelizar e não deixou de imitar Cristo. Possamos a exemplo deste mártir, ansiar pelas dentadas dos leões afim de participar da vida eterna.

Santo Inácio de Antioquia, rogai por nós.

 

Por: José Alves da Silva Filho. Historiador, Paleógrafo e Pesquisador pelo UniCEUB e também ligado à UnB.

Fontes consultadas:

1 – http://evangelhoquotidiano.org/main.php?language=PT&module=saintfeast&id=11049&fd=0

2 – AQUINO, Felipe Rinaldo Queiroz. Por que sou católico? – 23ª ed. – Lorena: Cléofas, 2012.

3 – IGREJA CATÓLICA. Papa, 2005-2013 (Bento XVI); Lisboa. Cardeal Patriarca, 1998-2013 (José Policarpo) - Youcat português: catecismo jovem da Igreja Católica. 5ª ed. Lisboa: Paulus, 2013.

4 – http://cleofas.com.br/santo-inacio-de-antioquia/

5 – AQUINO, Felipe Rinaldo Queiroz (ORG.). Riquezas da Igreja – 3ª ed. – São Paulo: Canção Nova, 2009.

6 – VARAZZE, Jacopo de. Legenda Áurea : vida dos santos. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

Publicado em Artigos

Sábado, 14 Outubro 2017 23:53

Devoção da Igreja - Dezembro

Dezembro é o mês do Advento e do Natal. São quatro semanas de preparação para a vinda de Cristo no Natal. Arma-se a “coroa do Advento”, com uma vela acessa a cada domingo, meditando esse tempo de graça. É um tempo propício para preparação espiritual e piedosa para celebrar o Natal e também a segunda e definitiva vinda do Senhor. É o tempo do Presépio, que nos ajuda a meditar este grande mistério da Encarnação do Verbo, que “se fez pobre para nos enriquecer”, como disse São Paulo.

 

http://cleofas.com.br/advento-preparacao-para-a-festa-do-natal-de-jesus/

http://cleofas.com.br/2512-natal-do-senhor/

https://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/advento/advento-tempo-de-faxina-interior/

https://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/advento/como-devo-me-preparar-para-o-natal/

Vídeo padre Paulo Ricardo (39'): https://www.youtube.com/watch?v=e0k8xeWCdlE

Vídeo padre Alex Brito (11'): https://www.youtube.com/watch?v=gdJ12F01AEs

Vídeo “Advento, por quê?” (2'): https://www.youtube.com/watch?v=N0VTMmJ3urQ

 

Colaborador PASCOM: Seiti

Publicado em Artigos

Sábado, 14 Outubro 2017 23:40

Devoção da Igreja - Novembro

Novembro é mês dedicado às almas do Purgatório. O Dia de Finados, no dia 2 de Novembro, é dedicado às orações por todos os fiéis falecidos. O Papa Paulo VI, na “Constituição das Indulgências”, de 1967, estabeleceu indulgências parciais e plenárias pelas almas do purgatório, e determinou a semana de 1 a 8 de novembro como a semana das almas, em que podemos lucrar indulgências plenárias a elas mediante uma visita ao cemitério para rezar por elas, tendo se confessado, comungado e rezado pelo Papa (Pai Nossa, Ave Maria, Glória ao Pai). As almas, por elas mesmas não podem conseguir sua purificação; dependem de nossas orações, missas, esmolas, penitências por elas. Em nossa paróquia o padre Luiz inclusive celebra missas regularmente pelos fiéis defuntos.

 

https://tv.cancaonova.com/escola-da-fe/felipe-aquino-fala-sobre-finados-e-o-dia-de-todos-os-santos/

https://formacao.cancaonova.com/igreja/catequese/dia-de-todos-os-santos-e-dia-de-finados/

https://noticias.cancaonova.com/mundo/em-missa-de-finados-papa-fala-sobre-memoria-e-esperanca/

https://formacao.cancaonova.com/igreja/historia-da-igreja/o-dia-de-finados/

https://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2012/11/02/finados/

 

Colaborador PASCOM: Seiti

Publicado em Artigos

Sábado, 14 Outubro 2017 17:24

Devoção da Igreja - Outubro

O santo Rosário e as santas Missões

 

OUTUBRO é o mês do santo Rosário e das Missões. Santo Rosário porque a Europa cristã se viu livre da ameaça muçulmana que queria destruir o cristianismo, no ano 1571; mas foram vencidos pelas forças cristãs na Batalha de Lepanto, no mar da Grécia. O Papa São Pio V pediu aos exércitos cristãos que levassem a “arma do Rosário”. Como a grande e milagrosa vitória se deu no dia 7 de outubro, o Papa instituiu neste dia a Festa de Nossa Senhora do Santo Rosário. O mês das missões é um devoção para estimular ainda mais a missão evangelizadora que Cristo confiou à Igreja. Mandou que seus discípulos fossem pelo mundo todo, pregando o Evangelho e batizando a todos. A padroeira das missões, por inclível que pareça, é Santa Teresinha do Menino Jesus, uma freira que nunca saiu para missionar mas sempre intercedeu pelos missionários.

http://cleofas.com.br/o-rosario-na-historia/

http://cleofas.com.br/voce-conhece-a-historia-da-batalha-de-lepanto/

https://santo.cancaonova.com/santo/santa-teresinha-do-menino-jesus-intercessora-dos-missionarios/

https://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2017/10/03/o-grande-mes-das-missoes/

https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/devocao/as-bencaos-de-outubro/

http://www.arquidiocesedebrasilia.org.br/noticias.php?cod=5852

http://www.arquidiocesedebrasilia.org.br/noticias.php?cod=5821

 

Vídeo sobre a oração “Ave Maria”: https://www.youtube.com/watch?v=VDoAaTHQ6fc

 

Colaborador PASCOM: Seiti

Publicado em Artigos

Terça, 12 Setembro 2017 06:00

Devoção da Igreja - Setembro

“Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus” (2 Pd 1,20-21).

 

O mês de setembro é especialmente lembrado na Igreja como mês da Bíblia. Isso se deve ao fato de que a Sagrada Escritura é a palavra de Deus e que no mês de setembro celebramos São Jerônimo (dia 30), responsável pela tradução dos textos hebraico e grego para o latim e da divisão da Bíblia como conhecemos hoje: em capítulos e versículos. Esse trabalho consumiu 35 anos de sua vida.

Uma das frases de Jesus no episódio da tentação no deserto dá mostras de quão importante é a Palavra: “O homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor” (Dt 8,3c).

Como não nos comovermos ao “ouvir” o próprio Deus falar? Isso é a Sagrada Escritura! É Deus que nos fala!

E como ler a Bíblia? Abrindo-a ao acaso? Como sorte? Claro que não! Isso seria desrespeitoso com o próprio autor. Ele pensou cada palavra e quer que toda ela seja adequadamente saboreada. No vídeo do professor Felipe Aquino ou no texto da Canção Nova podemos entender os critérios que nos ajudarão verdadeiramente a viver a Palavra em nossa vida por meio da leitura correta, inclusive pelo método cristão da leitura orante (lectio divina).

Recomendo atenção para que você não esteja usando uma bíblia não católica (distribuída em hotéis, por exemplo). Essas outras bíblias são muito diferentes, faltam diversos trechos e há traduções dúbias. Cuidado!

Aproveite esse mês para presentear alguém ou alguma família com uma Bíblia. Esse mês todas as livrarias católicas vendem bíblias com grande desconto.

 

Mês da Bíblia – Prof. Felipe Aquino

https://www.youtube.com/watch?v=ycg_HKHitlg

https://formacao.cancaonova.com/liturgia/catequese-liturgica/por-que-dedicar-um-mes-a-biblia/

http://www.comshalom.org/como-fazer-a-lectio-divina/

https://blog.cancaonova.com/tododemaria/quais-sao-os-quatro-passos-da-lectio-divina/

 

Colaborador PASCOM: Seiti

Publicado em Artigos

Segunda, 28 Agosto 2017 06:00

Santo Agostinho

No dia de hoje, 28 de agosto, a Santa Madre Igreja celebra a memória de Santo Agostinho, o “Doutor da Graça”. Deus quis precisar de Agostinho para que, através dele, várias heresias fossem combatidas e diversos corações pudessem Sentire cum ecclesia, como o seu um dia sentiu. Agostinho que tarde amou o Altíssimo, e O procurava fora de si, quando Deus habitava dentro dele, se deixou seduzir pelo Bom Deus, a Voz forte do Senhor rompeu a barreira da sua surdez, e brilhou tão forte que dissipou sua cegueira. Depois de provar de Deus, Agostinho sentiu fome e Sede do Autor da vida, e quando se deixou tocar, ardeu no desejo de Sua paz. (AGOSTINHO, 2014, X 27)

Filho de Patrício e Mônica, Agostinho nasceu em Tagaste na Tunísia no ano de 354. Viveu uma vida de pecado durante 32 anos, e através da intercessão de sua mãe que rezava diariamente, converteu-se ao cristianismo e batizou-se em 387. Seu batismo foi ministrado por Santo Ambrósio, um outro Doutor da Igreja e atribui-se a criação do hino do Te Deum a esse momento. Depois que recebeu o batismo, Agostinho tornou-se padre e depois bispo de Hipona. (AQUINO, 2008)

Santo Agostinho de Hipona tem por símbolos em suas imagens um coração flamejante e seu olhar voltado para o alto. Sua história de conversão deve-se às orações diárias de sua mãe, que piedosamente ia até a Igreja para rezar pelo seu filho. Agostinho teve um filho chamado Adeodato, estudou filosofia e converteu-se ao cristianismo também por influência de Santo Ambrósio. A maioria dos seus escritos era combatendo as heresias que enfrentou em sua época, tais como o Maniqueísmo, o Donatismo e o Pelagianismo. Sendo autor de uma enorme quantidade de obras teológicas e espirituais, podemos destacar a obra Confissões que narra sua conversão, e a obra A cidade de Deus, que dialoga com a ideia de que a queda do Império Romano não se deu pelo abandono dos deuses. Agostinho também é conhecido como um dos quatro principais Padres (no sentido de pai) da Igreja, juntamente com Santo Ambrósio, São Gregório Magno e São Jerônimo. (GRAVIERS e JACOMET, 2008)

Na obra Confissões, gostaria de ressaltar uma argumentação que pode ser trazida ao nosso tempo. No espaço social e religioso que vivemos, a caridade é em muitas ocasiões, confundida com diversas coisas que são tudo, menos a caridade. No livro X 23. Santo Agostinho nos fala que a verdade é odiada, pois, o pecado nos leva a amar a mentira. Quando a verdade vem e nos afaga a cabeça, ela é bem-vinda, mas quando a verdade nos exorta, automaticamente nós não queremos aceita-la. Nos dias atuais, músicos que não atuam bem em uma Missa por exemplo, preferem que sejam exortados de forma doce, onde alguém irá dizê-los “Oi, hoje foi muito bom, mas vocês podem melhorar, eu sei que vocês são capazes”, quando na verdade é imprescindível que se diga que não, que não estava bom, que na Missa não se deve treinar, na Missa tudo deve ser perfeito, pois é lá que se atualiza o Calvário, é um rito sagado, é o memorial da Paixão do Senhor, é o Santo Sacrifício da Cruz e ninguém deve perder o sentido do sagrado que a Eucaristia tem. O venerável Fulton J. Sheen um dia disse que “O certo é certo ainda que todos estejam errados, e o errado é errado ainda que todos estejam certos”.

Em A cidade de Deus, Santo Agostinho nos diz sobre duas cidades. Uma era terrena, foi fundada pelo amor próprio e levava o homem ao desprezo a Deus, a segunda era a celestial, foi fundada pelo amor de Deus e levava o homem ao desprezo a si próprio. A primeira gloria-se em si, a segunda gloria-se em Deus (Agostinho, 2012). Com isso, gostaria de trazer algo que se conta sobre um episódio na vida do santo. Ele estava sentado lendo e viu um demônio passando com um livro nos ombros, ordenou que o demônio parasse e lhe dissesse que livro era aquele. O demônio obedeceu e lhe informou que aquele era o livro dos pecados dos homens. Imediatamente Agostinho pediu para ver o livro e se lá estava seu nome, ao ver, percebeu seu nome e na frente dele estava o pecado de não rezar as completas. Santo Agostinho foi até a capela, rezou piedosamente as completas e voltou. Ordenou que o demônio procurasse ali seu nome de novo. Ao ir na mesma página, encontrou ela em branco e disse que o bispo lhe envergonhara e se arrependeu de ter mostrado seu livro e sumiu confuso. (VARAZZE, 2003)

Santo Agostinho nos deixou diversos ensinamentos, alguns são facilmente encontrados, mas a sua maioria não o é, como muitos outros documentos, mas podem-se ser acessados diversos desses textos nos ofícios da Liturgia das Horas.

Sabe-se também que Santo Agostinho contribuiu para sanar diversas dúvidas teológicas, e certa vez estava com dificuldade em entender o mistério da Santíssima Trindade. Com os pensamentos cansados, Agostinho foi passear na beira da praia em busca dessas respostas. Ao longe viu uma cena que cada vez lhe chegava mais próximo. Um menino fez um buraco na areia com seu dedo, ia até o mar, enchia as mãos com água e levava até o buraco, fez isso repetidas vezes sem parar. O bispo chegou perto dele e perguntou: “Menino, você acha mesmo que consegue colocar toda a água do mar nesse buraco?”. O menino então lhe respondeu: “É mais fácil eu colocar toda a água do mar dentro desse buraco do que você descobrir o mistério da Santíssima Trindade”. Falando isso, o menino sumiu.

Chamo a atenção para esse episódio no sentido de muitas vezes querermos explicar materialmente Deus, de querermos até matar o nosso Deus com nossas teorias vindas das filosofias modernas que excluem o sobrenatural e o metafísico. Findo com uma frase do santo que deve acima de tudo, nos tranquilizar. “Se Ele fosse para ser entendido, não seria Deus”.

Santo Agostinho de Hipona, rogai por nós.

 

Por: José Alves da Silva Filho. Historiador pelo Centro Universitário de Brasília, paleógrafo e pesquisador pela mesma instituição sendo pesquisador também ligado à Universidade Brasília.

 

Fontes Consultadas:

 

AGOSTINHO, Santo. A Cidade de Deus: (Contra os pagãos). Petrópolis – RJ: Vozes, 2012.

AGOSTINHO, Santo. Confissões. 4ª ed. Petrópolis – RJ: Vozes, 2014.

AQUINO, Felipe Reginaldo Queiros de. Na escola dos Santos Doutores. 6ª ed. Lorena: Cléofas, 2008.

GRAVIERS, B des. e JACOMET, T. Reconnaitre les saints. Barcelona: Ediciones Folio, S.A., 2008.

VARAZZE, Jacopo de. Legenda Áurea : vida dos santos. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

Publicado em Artigos

Segunda, 14 Agosto 2017 06:00

Devoção da Igreja - Agosto

Devoção do Mês de Agosto - Vocações

 

No mês de Agosto a Igreja volta seu olhar de maneira especial para as vocações. A cada domingo é dada ênfase a uma categoria vocacional, começando pelo ministério ordenado, pelo matrimônio, pela vida consagrada e pela vocação leiga.

Ainda no mês de Agosto, a CNBB promove a Semana Nacional da Família. Desde o domingo do dia dos pais as paróquias e comunidades são convidadas a refletir sobre o magnífico dom de fazermos parte de uma família.

Acompanhe nos artigos abaixo os detalhes a respeito de cada domingo dedicado a uma vocação e veja a programação de atividades da nossa paróquia para a Semana Nacional da Família.

 

https://blog.cancaonova.com/vocacional/agosto-mes-das-vocacoes/

http://imaculadocoracaodf.com.br/component/k2/semana-da-familia-2017

Publicado em Artigos

Terça, 18 Julho 2017 06:00

O Purgatório

Por que devemos rezar pelos fiéis defuntos?

O Catecismo da Igreja Católica nos ensina que:

“Pelas indulgências*, os fiéis podem obter para si mesmos e também para as almas do Purgatório, a remissão das penas temporais, sequelas dos pecados” (§ 1498).

Especialmente no dia 2 de novembro, lembramos-nos dos nossos irmãos defuntos e pedimos a Deus por eles em busca da remissão da “pena temporal” devida pelos pecados já perdoados. E dessa forma – perguntam alguns - podemos tirar alguém do purgatório?

Os irmãos protestantes ainda não entendem a referência bíblica sobre as orações pelos defuntos, não creem no purgatório e afirmam que tudo não passa de uma criação da Igreja no período medieval.

Selecionamos alguns vídeos, textos, áudios e livros muito ricos para auxiliar em sua formação sob à luz da Santa Mãe Igreja. Escolha a mídia que mais se adequa a seu gosto e bom proveito!

 

Colaborador PASCOM: Seiti

 

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=AiHOVgBXkHA

Áudio e Texto: https://padrepauloricardo.org/episodios/comemoracao-de-todos-os-fieis-defuntos-mmxvi

Texto: https://padrepauloricardo.org/blog/sete-conselhos-para-enfrentar-a-morte-e-o-luto-de-forma-crista

Vídeo e Texto: http://cleofas.com.br/nossa-oracao-pode-tirar-alguem-do-purgatorio/

Áudio e Vídeo: https://padrepauloricardo.org/episodios/o-purgatorio

Texto: http://cleofas.com.br/as-indulgencias-pelas-almas-do-purgatorio/

Texto: http://cleofas.com.br/a-doutrina-do-purgatorio/

Texto: https://pt.aleteia.org/2014/03/29/o-que-e-o-purgatorio/3/

Texto: https://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2014/04/04/o-purgatorio-na-biblia/

Áudio, Vídeo e Texto: https://padrepauloricardo.org/episodios/o-purgatorio-e-uma-invencao-medieval

Áudio, Vídeo e Texto: https://padrepauloricardo.org/episodios/por-que-as-pessoas-nao-estao-mais-rezando-pelas-almas-do-purgatorio

Texto: https://padrepauloricardo.org/blog/c-s-lewis-um-protestante-que-acreditava-no-purgatorio

Livro: https://loja.cleofas.com.br/o-purgatorio-o-que-a-igreja-ensina

Livro: http://www.paulus.com.br/loja/indulgencias-orientacoes-liturgicopastorais_p_1884.html

Catecismo da Igreja Católica;

Encíclica Spe Salvi, de Bento XVI (2007);

Livro “Escatologia da Pessoa – vida morte e ressurreição”, de Renold J. Blank (São Paulo, Paulus, 2000);

Livro “A vida que começa com a morte”, de D. Estevão Bettencourt (Rio de Janeiro, Agir, 1963);

Livro “Dicionário crítico de teologia”, de Jean-Yves Lacoste (Loyola, 2004);

*indulgências: é “remissão”, isto é, livra, liberta, da “pena temporal” devida pelos pecados já perdoados.

Publicado em Artigos

Sexta, 07 Julho 2017 11:00

Devoção da Igreja - Julho

images 1Preciosíssimo Sangue de Jesus
 
No mês de julho a Igreja nos propõe uma devoção, para mim, pouco conhecida. A devoção ao Preciosíssimo Sangue de Jesus.
 
Desde a Sagrada Escritura, passando pelos Santos Padres e por santos dos altares, há referências concretas da importância singular do Preciosíssimo Sangue de Jesus e de como essa santa devoção pode mudar nossa vida. São João Crisóstomo nos desafia dizendo: "Quereis conhecer o poder do Sangue de Cristo? repara de onde começou a correr e de que fonte brotou”.
 
Aceitemos esse desafio! Vamos descobrir juntos quantas maravilhas esse Cristo que nos ama, que deu a vida por nós e que sempre nos procura quer nos ensinar por meio de seu Sangue!
 
Abaixo escolhi textos curtos, orações profundas e poderosas e inclusive uma Carta Apostólica do Papa São João XXIII (canonizado em 2014 pelo Papa Francisco), que nos iniciarão nesse caminho.
Adiante, com coragem, sob a proteção do Imaculado Coração de Maria!
 
https://w2.vatican.va/content/john-xxiii/pt/apost_letters/1960/documents/hf_j-xxiii_apl_19600630_indeaprimis.html
https://padrepauloricardo.org/blog/homilia-de-missa-votiva-do-preciosissimo-sangue-de-cristo
https://blog.cancaonova.com/natal/2011/07/02/como-nasceu-a-devocao-ao-preciosissimo-sangue-de-jesus/
https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/oracao/consagre-se-ao-preciosissimo-sangue-de-jesus/
https://blog.cancaonova.com/livresdetodomal/oracao-de-libertacao-preciosissimo-sangue-de-jesus/
Publicado em Artigos

Quinta, 01 Junho 2017 17:58

Devoção da Igreja em junho

download    No mês de junho a Igreja dedica especial atenção ao Sagrado Coração de Jesus.

    Desde a Sagrada Escritura Jesus demonstra misericórdia por meio de suas atitudes diretamente ligadas ao seu coração (cf. Jo 13, 23 e Jo 19,34). Mas em 1675 uma jovem de 25 anos, Margarida Maria Alacoque, passa a ter visões de Cristo que lhe pede para divulgar a devoção ao seu Sagrado Coração e promete 12 graças especialíssimas.

    Conheça mais sobre essa devoção que resultou inclusive na fundação da congregação religiosa da qual faz parte o Padre Zezinho (cantor).

 

Colaborador: Seiti

 

http://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/devocao/as-12-promessas-do-sagrado-coracao-de-jesus/

https://pt.aleteia.org/2015/06/11/devocao-ao-sagrado-coracao-de-jesus-como-tudo-comecou/

https://www.apostolas.org.br/

http://www.scj.org.br/

http://santo.cancaonova.com/santo/santa-margarida-maria-alacoque-devota-do-sagrado-coracao-de-jesus/

https://www.youtube.com/watch?v=NCtifTarJF4

Publicado em Artigos

Página 1 de 2